sábado, 21 de novembro de 2009

Alterações fisiológicas durante o exercício

Durante o exercício algumas alterações ocorrem no organismo da criança e do adolescente, estas alterações são resposta ao esforço, pois o organismo tende a adaptar-se, ocorrendo diferenças na comparação com adultos.
A capacidade aeróbia máxima, por exemplo, aumenta proporcionalmente à altura e à freqüência cardíaca. A capacidade funciona, segundo Duarte (1993), medido através do protocolo de Bruce, aumenta até 17-18 anos, tendendo a partir daí a diminuir.

O débito cardíaco, em relação ao adulto, segue a mesma projeção tendo influencia direta através da freqüência cardíaca (FC) contribuindo para seu aumento durante o exercício, isso devido ao fato de que o volume sistólico atinge seu valor máximo antes da FC (Duarte,1993).

E o ritmo cardíaco, sofre alterações durante o exercício, sem que signifique alguma anomalia cardíaca (Duarte, 1993).

Segundo Massicotte, 1985 a FC máxima é mais elevada nas crianças do que nos adultos, sendo por volta dos 10 anos as freqüências mais altas, diminuindo gradativamente até por volta dos 25 anos (Andersen apud Massicotte,1985). As variações individuais, bem como o esforço influencia diretamente na FC máxima.

Conforme estudos de Duarte, a pressão arterial aumenta devido ao aumento da PA sistólica, e a variação da PA diastólica é mínima, tendo reduções consideráveis em adolescentes homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário